tedx sp

Vocês estão ouvindo a minha voz? Minha apresentação no TEDx São Paulo – Sala São Paulo

Quando eu vi um TedTalk pela primeira vez fiquei impressionada, admirada, meus olhos não desviavam  nem por um segundo da tela do computador e pensei: um dia  quero estar lá. Parecia um sonho impossível, distante, pois quem gostaria de ouvir sobre o tema “violência contra a mulher” num evento que se autodenomina como “idéias inspiradoras e que precisam ser compartilhadas”?

 

Sempre mentalizei a minha participação e acompanhava os eventos pelo youtube.  Para a minha surpresa e  alegria, a Neide Santos do Projeto Vida Corrida foi convidada para apresentar sua história no TEDxWomen em São Paulo. Ela nem sabia o “tamanho da encrenca”, e eu perguntei: “Neidoca, você sabe o que isso significa?” Ela sempre humilde disse: “não, não faço ideia”. Claro que ela foi lá e arrasou, levou muitas pessoas às lágrimas e às palmas  com sua história de vida maravilhosa. E eu acompanhei cada segundo da preparação dela com o coração cheio de orgulho e admiração. Foi aí que se abriram as portas para minha participação no TEDx.

 

Continuei o meu trabalho, desenvolvendo  projetos de prevenção e combate à violência contra a mulher, atuando nos júris de mortes violentas de mulheres, atendendo  mulheres em situação de violência e denunciando formalmente os autores dessa violência, que coloca o Brasil hoje na posição de 5o. país do mundo com maior índice de mortes de mulheres.

 

Seis meses depois chegou a minha vez. Um dia recebi uma mensagem via facebook. Eu me lembro como se fosse hoje. Eram umas 2 horas da manhã, eu estava meio dormindo-meio acordada e dei aquela olhadinha no celular. Vi a mensagem : “Oi, sou curadora do TEDx São Paulo e…” Parei aí.  Achei que estivesse sonhando, desliguei o celular, virei pro lado e dormi para não interromper aquele sonho maravilhoso. No dia seguinte acordei e vi que era realidade: “….e gostaria de falar sobre a sua participação no próximo TEDx São Paulo”.

 

Marcamos uma reunião no shopping Eldorado, num café: eu, Neide (meu anjo da guarda) e Elena Crescia, curadora do TEDx São Paulo.

 

(Aqui faço um parênteses para apresentar brevemente a Elena: a conheço há pouco tempo, mas vejo nela uma das mulheres mais visionárias em uma das melhores almas que já me deparei. Rápida, mas calma. Simples, mas exigente. Enxerga o mundo muito além do seu próprio umbigo e consegue reunir ao seu lado uma equipe invejável de profissionais (diga-se de passagem, todos voluntários) mostrando pro mundo o que há de melhor no ser humano. Ela consegue extrair a verdadeira essência das pessoas e tenho certeza que assim ela vai transformar o mundo.  Com vaidade zero, o que é incomum para uma pessoa com o poder que ela tem nas mãos,  um dia ela me disse: “meu trabalho é encontrar estrelas e fazer elas brilharem”. Sorte minha ter conhecido alguém como ela. Obrigada querida  Elena Crescia por me dar a  oportunidade de  mostrar um pouco do meu trabalho e por dar voz a muitas mulheres).

 

Fechamos a minha participação num caderninho que a Elena sempre traz consigo. Eu levei as páginas. E a partir daquela noite, foi dedicação integral. Busquei força no esporte, apoio da família e da minha equipe na promotoria de justiça, que não deixou a peteca cair.

 

Eu tinha apenas um mês para me preparar. Li dois livros, colhi dicas, preparei o texto, mudei mil vezes, falei na frente do espelho feito uma louca, fiz aulas de coach com a “minha guru” Zora Viana e cheguei a me apresentar um dia antes para o meu mestre Reinaldo Polito, com que fiz meu primeiro curso de oratória.  Foram 30 dias de treino, de treino, de treino …todos noturnos, quando chegava do trabalho. Varei várias  madrugadas… minha vida parou, mas meu coração vibrou e bateu mais forte.

 

No dia da apresentação, mais uma vez, parecia um sonho. Eu olhava aquela multidão na platéia, pessoas extremamente interessantes e preparadas se apresentando e pensei: “agora ferrou”.  Mas me lembrei do que um dia minha avó Marília me disse: “nunca deixe de ser você mesma”. Fui lá e realizei meu sonho. Nem sei se fui tão bem e tão técnica como queria, mas sei que falei com o coração e que curti cada momento.

 

Posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que existe uma vida antes de um TEDx e uma vida depois. É como se você estivesse cruzando a linha de chegada:  não é só a sensação de dever cumprido, mas sim de ter conseguido ir além.

 

“Vocês estão ouvindo a  minha voz?”

 

Dedico à minha avó Marília, à minha mãe Regina, à minha irmã Domitila e à minha filha Camila. Essas são as mulheres da minha família que me ensinaram o verdadeiro valor de lutar pelas mulheres. Obrigada. :)

 

 

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Comments

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.