49049457806_01cfcf9872_k

São Paulo ganha Casa da Mulher Brasileira

Saiu no site GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

 

Veja publicação no site original: São Paulo ganha Casa da Mulher Brasileira

.

Espaço na capital concentra principais serviços de atendimento à mulher vítima de violência das esferas municipal, estadual e federal

.

O Governador João Doria e a Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, inauguraram nesta segunda-feira (11) a Casa da Mulher Brasileira, que prestará serviços para mulheres vítimas de violência.

.

Localizada no bairro do Cambuci, região Central da capital, a Casa da Mulher Brasileira possui 3.659 metros quadrados e funcionará 24 horas por dia, prestando serviços humanizados para mulheres em situação de violência, garantindo seu fortalecimento e autonomia. É a primeira deste modelo no Estado de São Paulo e a sétima no país.

.

“Desde janeiro, nós colocamos como meta retomar a obra, finalizar e entregar a Casa da Mulher Brasileira. Era obstinação, em todas as nossas reuniões, para que isso pudesse acontecer ainda este ano. Graças à parceria do Governo Federal, Estadual e Municipal e a cooperação de várias empresas que nós pudemos inaugurar a Casa da Mulher Brasileira. Aqui há o acolhimento pleno para as mulheres mais fragilizadas e ameaçadas”, disse Doria.

.

Também participaram da inauguração a Secretária Estadual de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, a Secretária da Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão, o Secretário de Segurança Pública, General Campos, o Secretário da Justiça, Paulo Dimas, o Secretário de Esportes, Aildo Ferreira, e a Secretária Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella.

.

As mulheres em situação de violência que procurarem o local encontrarão serviços de acolhimento e escuta qualificada por meio de uma equipe multidisciplinar. Haverá no local:

.

– Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), com ações de prevenção, proteção e investigação dos crimes de violência doméstica;
– Ministério Público, com atuação na ação penal dos crimes de violência;
– Defensoria Pública, com orientação às mulheres sobre seus direitos e assistência jurídica;
– Tribunal de Justiça, responsável pelos processos, julgamentos e execução das causas relacionadas à violência;
– Destacamento do programa Guardiã Maria da Penha, da Guarda Civil Metropolitana, para proteger as vítimas;
– Alojamento de acolhimento provisório para os casos de iminência de morte.

.

Em um único espaço, a Casa da Mulher Brasileira proporcionará acolhimento especial às mulheres, com ambiente confortável, acolhedor e seguro. A mulher em situação de violência encontrará apoio psicológico e assistencial, com o amparo necessário para a sua segurança e bem-estar.

.

1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital, até então localizada na Sé, passará a atender na Casa da Mulher Brasileira. Mais ampla, a nova sede da DDM contará com dois espaços distintos. Em um deles funcionará o plantão, com uma sala de atendimento maior, nove salas para delegados, escrivães e investigadores, banheiros e duas celas para presos. No outro, em frente, ficará o expediente da unidade.

.

“A Casa da Mulher Brasileira é mais uma grande conquista para o Estado de São Paulo. Proteger mulheres e meninas é um compromisso do Governador João Doria, que desde o início de sua gestão implantou nove Delegacias da Mulher 24h, o aplicativo SOS Mulher, e iniciou o novo Hospital Pérola Byington destinados à proteção e ao atendimento à mulher vítima de violência ou ameaça. Temos, no Governo do Estado, condições hoje de enfrentamento a esse tipo de crime, de fortalecimento das mulheres e de promover a autonomia das mesmas, de forma que este ciclo se rompa e as agressões não voltem a ocorrer”, diz a Secretária Célia Parnes.

.

A Casa da Mulher Brasileira contou com recursos federais para a sua implementação e faz parte de um dos eixos do programa “Mulher Viver sem Violência”, coordenado pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, e, desde março de 2018, sob a responsabilidade da Prefeitura de São Paulo, na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC).

.

O Governo de SP colaborou para arregimentar importantes parceiros que ajudaram na execução final da obra, como o Instituto Avon, que capacitou os funcionários, além de fazer a doação de materiais para a brinquedoteca e outros equipamentos; o Instituto MRV fez a revisão de toda a parte elétrica, lógica, hidrossanitária, pintura, limpeza e paisagismo da Casa; a Farah Service doou as plantas e criou um parquinho para as crianças e, além disso, a Caixa Econômica Federal elaborou um relatório e uma análise sobre a estrutura do prédio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.


Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.