sem título

MPCE ouve vítimas que denunciam abuso de médico no CE e afirma que ‘medidas judiciais estão sendo tomadas’

Saiu no site G1

 

Veja publicação original:     MPCE ouve vítimas que denunciam abuso de médico no CE e afirma que ‘medidas judiciais estão sendo tomadas’

.

Vídeos obtidos pelo G1 mostram atendimento em consultório do médico e prefeito de Uruburetama, Hilson de Paiva, com pacientes. Para associação, imagens mostram ‘claramente’ cenas de abuso sexual. Prefeito diz que caso é ‘jogada’ da oposição.

.

A investigação de abuso sexual contra o médico e atual prefeito de Uruburetama, José Hilson de Paiva, 70, é acompanhada Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). Nesta segunda-feira (15) o órgão apura as datas exatas em que os fatos aconteceram e quais crimes podem ser configurados em cada uma das ações cometidas por Paiva.

.

O médico e prefeito Hilson de Paiva filmou várias mulheres, sem o consentimento delas, enquanto elas buscavam atendimento. Ele era o único médico que fazia atendimento ginecológico na cidade. Desde a década de 1980, várias mulheres denunciaram Hilson de Paiva, mas todas foram arquivadas sem que ele fosse considerado culpado.

.

“Medidas judiciais estão sendo tomadas visando elucidar todas as condutas delitivas e punir rigorosamente o responsável”, disse o MPCE em nota. José Hilson de Paiva foi denunciado por um grupo de mulheres que afirmam ter sido vítimas de abusos, dentro do consultório do clínico-geral, no interior do Ceará. Há informação que ele praticou crimes violando corpos de pelo menos 17 vítimas.

.

A defesa do médico informou que irá solicitar ao MPCE, ainda nesta segunda-feira (15), acesso à todas as gravações, até então desconhecida por eles. Nas imagens há registros do prefeito pedindo para que as pacientes ficassem completamente nuas sob justificativa que aquele era procedimento comum e regular.

.

.

Médico e prefeito de Uruburetama, Hilson de Paiva é denunciado por abusar de dezenas de mulheres — Foto: Reprodução

Médico e prefeito de Uruburetama, Hilson de Paiva é denunciado por abusar de dezenas de mulheres — Foto: Reprodução

.

G1 apurou que o Ministério Público atua na identificação de cada uma das vítimas e está ouvindo-as de forma oficial. Até a publicação desta matéria, José Hilson de Paiva não havia sido ouvido por promotores do órgão acusatório. Ainda na nota, MPCE pontuou que a investigação é coordenada pela Promotoria de Justiça de Uruburetama com o apoio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc).

.

.

Denúncias contra o prefeito

.

Nas denúncias mais recentes, em 2018, o médico foi absolvido e denunciou as mulheres por calúnia e difamação. Três delas pediram desculpas para evitar serem processadas; uma quarta negou.

.

“Para o processo [de calúnia e difamação contra as pacientes] ser arquivado, as vítimas teriam que pedir desculpa pra ele. Quando chegou na minha hora, eu disse: ‘Eu não vou pedir desculpa, você quem deve me pedir desculpa'”, relata a mulher, sem se identificar.

.

O prefeito nega ter realizado qualquer prática de abuso. Para ele, as denúncias são uma estratégia de políticos de oposição para afastá-lo.

.

“Eu nunca fiz nada forçado. Nada à força, não tive nada forçado. Isso é uma jogada da oposição. Querem me derrubar.” Ele afirma que teve relações sexuais com algumas mulheres, “mas não foi no consultório”.

.

Questionado por que filmava as pacientes, Hilson diz apenas que o repórter “perguntou demais” e deixa o local da entrevista.

.

Por meio de nota, o advogado do prefeito afirma que o cliente teve conhecimento dos vídeos apenas por “ouvir dizer”, que “aguarda as mídias para uma manifestação mais concreta sobre o caso” e que irá ao Ministério Público para saber sobre a veracidade do material.

.

.

Mulheres afirmam que médico costumava pôr a boca nos seis delas; para Associação Médica Brasileira, o procedimento se trata 'claramente' de abuso — Foto: ReproduçãoMulheres afirmam que médico costumava pôr a boca nos seis delas; para Associação Médica Brasileira, o procedimento se trata ‘claramente’ de abuso — Foto: Reprodução

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.