Notícias

Mulheres oferecem micropigmentação gratuita de aréola a vítimas de câncer de mama: ‘Elevar a autoestima’

Notícias, Notícias - 4 de Maio de 2021

Tempo de leitura: 4min

Saiu no G1

Veja a Publicação Original

Devolver a autoestima de mulheres que tiveram câncer de mama está sendo a motivação de duas empresárias e uma de suas funcionárias em Santos, no litoral paulista. Juntas, elas estão oferecendo gratuitamente a reconstrução da aréola do seio (círculo pigmentado em torno dos mamilos). O procedimento é feito por meio da técnica de micropigmentação e voltado, principalmente, a mulheres carentes.

As empresárias e sócias Luciana de Donato Garcia, de 35 anos, e Mariza Nardozza, de 52, são donas de um salão de beleza. Depois de a funcionária Tayane Oliveira contar que havia se especializado em micropigmentação de aréola, e que gostaria de ajudar mulheres com a técnica, as chefes abraçaram a causa e resolveram promover uma ação social no mês das mães, em maio, para mulheres vítimas do câncer de mama.

“Nós trabalhamos muito com a técnica de estética facial, como extensão de cílios, micropigmentação labial e de sobrancelha. E a Tayane, uma das nossas profissionais, é professora de micropigmentação, e se especializou recentemente na técnica para reconstrução de aréola. Ela comentou conosco que, no curso, soube que muitas mulheres nem conheciam a técnica, e que gostaria de ajudá-las a elevar a autoestima. Foi quando pensamos em fazer uma ação de Dia das Mães”, afirma Luciana.

Enquanto as empresárias custearão todo o material, a funcionária irá fazer o trabalho de pigmentação. O objetivo é alcançar o máximo de mulheres possível, principalmente aquelas que não têm condições financeiras de arcar com o procedimento. “Queremos chegar em quem realmente precisa, porque é um procedimento que muitas mulheres nem conhecem, principalmente as que são mais carentes”, relata a empresária.

Conforme explica Luciana, a funcionária tem um molde próprio de aréola para fazer o procedimento, e tem várias cores de pigmentos, para tentar ficar bem próximo ao tom de pele da pessoa. “É feito com anestesia local, então não dói. Há um leve incômodo por ser um microagulhamento, mas não é nada profundo. As mulheres que já colocaram prótese não correm risco de estourá-la, porque é um procedimento externo e superficial. Fica um trabalho super bem feito”, explica.

Porém, a empresária explica que o procedimento só é feito com o aval médico do profissional que acompanha a mulher que deseja fazer a pigmentação, por mais que a técnica não tenha contraindicação. “Pensamos, inicialmente, em fazer a ação voltada apenas para mães, mas depois repensamos que, para uma mãe que teve uma filha que teve que retirar um dos seios por conta do câncer, também seria um grande presente, caso a filha pudesse passar pelo procedimento gratuito. A felicidade de uma mãe também é ver o filho bem. Então, para fazermos o procedimento, basta ser maior de idade e ter autorização médica”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *