dispositivo-conttra-abuso-850x491

Sensor contra abuso sexual alerta que roupa está sendo tirada à força

Saiu no site BHAZ

Veja publicação original:    Sensor contra abuso sexual alerta que roupa está sendo tirada à força

.

Um adesivo, que pode ser acoplado ao sutiã ou qualquer outra peça de roupa que uma mulher esteja vestindo, foi criado pelo Massachussetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos, com o intuito de coibir casos de agressão sexual.

.

De acordo com o blog Olhar Digital, a solução integra um sistema que funciona de duas maneiras: um modo ativo para casos em que a vítima está inconsciente ou não pode lutar contra o agressor; e um modo passivo em que a vítima pode ativar o mecanismo de segurança ao pressionar um botão.

.

A invenção é da pesquisadora do MIT, a indiana Manisha Mohan. Ela explica que desenvolveu o produto com base nos casos de assédio sexual ocorridos no seu país de origem, a Índia, onde muitas mulheres sofrem com agressões e, geralmente, precisam estar em casa ou em locais seguros antes do anoitecer.

.

“Esse projeto foi uma maneira de oferecer algum tipo de recurso tecnológico que trouxesse mais segurança para as mulheres. Não precisamos de seguranças pessoais ou guarda-costas. Precisamos de recursos para nos protegermos por nós mesmas e estarmos sozinhas em segurança. E é isso que espero que esse projeto possa oferecer”, diz.

.

Manisha explica que o produto é uma espécie de adesivo que pode ser colado em qualquer peça de roupa, e que se adere a quase todas as superfícies.

.

“Ao detectar que uma peça de roupa está sendo tirada à força, uma notificação é enviada para o celular da vítima para que ela confirme que há consentimento ou não”, diz.

.

(MIT Media Lab/Reprodução)

.

Se não houver interação da vítima com o celular em um período de 30 segundos, um alarme começa a ser emitido, também pelo aparelho. Caso o barulho não intimide o agressor, em 20 segundos uma segunda medida de segurança é ativada.

.

Ela consiste no acionamento de uma lista de contatos pré-definida pelo usuário, que começam a receber notificações (como esta abaixo, que diz: ‘Estou em risco. Por favor ajude-me’) sobre o ataque e a localização da pessoa via Google Maps.

.

(MIT Media Lab/Reprodução)

.

O adesivo não deixa marcas nem danifica a roupa, ela garante. Ele é composto por elementos condutores de sinais, não condutores e hidrogel.

.

Assista ao vídeo divulgado pelo MIT no qual a pesquisadora explica o projeto (em inglês).

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.