africa-do-sul

Proibidas de usar black power na escola, meninas fazem protestos

Saiu no site O Globo: 

Segundo as manifestantes, elas sofriam preconceito pelo penteados usados

RIO— Alunas acusam uma escola na África do Sul de proibir o uso de black power e outros penteados afro dentro da instituição. Organizado por estudantes com idades entre 13 e 18 anos, um protesto foi realizado depois que uma estudante foi suspensa da unidade, na última semana. Segundo as manifestantes, o motivo da punição teria sido o cabelo com trancinhas.

Usuários do Twitter, no entanto, dizem que a questão vai muito além dos cabelos. Para eles, passados 22 anos do Apartheid — regime de segregação racial que vigorou até 1994 no país — milhares de sul-africanos ainda precisam conviver com o preconceito.

A repercussão da hastag #StopRacismAtPretoriaGirlsHigh é tão grande que várias autoridades do país se manifestaram em apoio à causa das meninas. Uma petição pedindo a revisão do código de conduta da escola já conseguiu mais de 25 mil assinaturas.

O tradicional colégio Pretoria High School For Girls não se pronunciou sobre as acusações. De acordo com a imprensa internacional, o código da escola de conduta tem uma lista de regras sobre o cabelo e uniforme, mas não menciona especificamente o penteado afro.

14021663_1113821265375662_6316745619543906687_n
Publicação Original: Proibidas de usar black power na escola, meninas fazem protestos

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.