16

VIRADA FEMININA – UM MOVIMENTO GLOBAL DE EMPODERAMENTO FEMININO

Após meses de trabalho árduo na construção de um evento importantíssimo para o empoderamento feminino, concluímos com sucesso a VIRADA FEMININA.

Foi uma grande honra trabalhar com mulheres comprometidas e engajadas que se disponibilizaram com afinco para a elaboração deste evento que, para mim, foi um sucesso e será um marco na agenda paulistana.

Contamos com a participação de grandes nomes nos Grupos de trabalhos: Sistema de Saúde, Empreendedorismo, Sustentabilidade, Justiça e Cidadania e Violência contra a Mulher. Confira em Virada Feminina 

Tive a honra de coordenar o grupo de trabalho VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, com minhas queridas amigas Marta Lívia Suplicy e Maria Aparecida Pinto (Cidinha), mulheres que passei a admirar ainda mais.

Na 1a atividade tivemos um juri simulando, sob a presidência da CIDINHA, que nos trouxe para debate o caso de violência contra uma mulher transsexual. Em seguida, para apresentar do Sistema de Justiça, recebemos com muito carinho a Juíza de Direito, minha amada irmã Maria Domitila Prado Manssur Domingos, Celeste Leite dos Santos representando o Ministério Público, Sueli Ângelo Amoedo, representando a Coordenadoria dos Direitos das Mulheres e a Rede Protetiva,  Paula Santana Machado de Souza – Defensora Pública – Membro do NUDEM e Samira Vieira Fares – Delegada de Polícia Titular da Delegacia de Defesa da Mulher da Capital.

Elas apresentaram o Sistema de Justiça, os órgãos do Sistema de Justiça e o percurso que a mulher enfrentam percorre quando sofre violência, bem como deram sugestões para aprimoramento.

Na 2a atividade tivemos a apresentação do Teatro Dança – ‘’Mulheres que Carregam o Mundo’’ coordenado pela minha querida amiga Luciana Uyeda e seu grupo de trabalho, que contagiou e emocionou a todas as pessoas presentes.

Na 3a atividade foi feita uma roda de conversa apresentando  ‘’AS CARAS DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER’’, cujo objetivo foi apresentar uma parte das inúmeras faces das mulheres que sofrem violência doméstica ao mundo.

A Violência contra a mulher pode atingir qualquer uma de nós: negras, brancas, idosas, mulheres transexuais, lésbicas, indígenas, jovens, mulheres com deficiência, mulheres encarceradas, em situação de ruas e atinge todos os níveis socioeconômicos.

Contamos com as digníssimas presenças de Marina Ganzarolli – Advogada, Doutoranda em Sociologia Jurídica(USP) e co-fundadora da DeFEMde-Rede Feminista de Juristas; Neon Cunha – Publicitaria , diretora de arte, designer gráfica e ativista transfeminista; Ivete dos Reis – Advogada, Diretora técnica na Secretaria a Justiça e Defesa à Cidadania, coordenadora social de grupos de terce ira idade no Itaim Paulista;  Stephanie Cristina Mendonça Ribeiro – Arquiteta, urbanista, escritora e ativista e representante das mulheres negras; Mary Kaiapó – Vice Presidente da ONG Indígena UNIESP e representante da mulher indígena; Renata Lopes Pereira Barbosa – Bacharela em Direito. A mesa foi mediada com maestria pela  minha grande amiga Fabiana Dal’Mas Rocha Paes – Promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Na 4a ATIVIDADE, apresentamos o Projeto: EU SEI ME DEFENDER – Defesa Pessoal para Mulheres, idealizado por Erica Paes, treinadora da atriz Paola Oliveira na novela da Globo ”A Força do Querer” e coordenado por Mayra Castro.

Erica e Myara, com muito carinho,  nos deram a honra de conhecer esse projeto espetacular. Erica fez uma demonstração ao vivo de como se defender da violência contra a mulher, atraindo a atenção de todos as presentes. Um sucesso. Espero que esse projeto percorra todo o Brasil, para garantir a defesa  e a liberdade de meninas e mulheres de todos os cantos do país. Agradeço imensamente essa oportunidade.

Nossa 5a atividade,  que foi mediada pela minha amiga Fabíola Sucasas Negrão Covas – Promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo e meu parceiro de trabalho nos grupos de reflexões para homens Sergio Barbosa – Filósofo e Sociólogo a Roda de Conversa apresentamos “OS FILHOS DA VIOLÊNCIA” com o objetivo de apresentar casos reais de pessoas que sofreram e presenciaram violência doméstica na infância. Quem são esses adultos hoje?

Qual é o reflexo dessa violência na vida deles?

Contamos com convidados especiais, como:

Dinho Lima – Empresário, Master Coach pela Sociedade Latina

Americana Coaching e autor do livro: Quem roubou os meus direitos?

Minhas queridas amigas e parceiras de corrida e empoderamento feminino por meio do esporte, Giselli Ferreira de Souza – Atleta, Jornalista e Idealizadora do Projeto Divas que Correm e Neide Santos – Atleta, Empreendedora Social e Idealizadora do Projeto Vida Corrida e Vencedora do Prêmio Claudia 2016 – Categoria Projeto Social.

Nosso querido Marcello Fernandes – Empresário e considerando o melhor Garçom do Brasil.

Foi uma experiência inédita e muito emocionante. Muitas vezes não se da a importância devida para as crianças que presenciam a violência (67% da violência doméstica é cometida na frente dos filhos), que necessitam de acompanhamento psicológico, apoio e carinho para que não desenvolvam comportamentos agressivos, com baixa autoestima e de insegurança.

A mesa foi mediada pelo meu querido amigo Flávio Urra – Psicólogo e Sociólogo, Mestre em Psicologia Social, Coordenador do Programa “E Agora José?”, que falou um pouco sobre seu trabalho com homens autores de violência contra a mulher (muitos deles presenciaram o pai cometendo violência contra a mãe).

Ao final do evento, todas cantamos juntas as música VIVER E NÃO TER A VERGONHA DE SER FELIZ….  trazida pelo Dinho Lima. Ninguém se conteve: todas choraram.

Foi uma grande alegria participar desse evento maravilhoso, com pessoas incríveis. Serei eternamente grata a todas e a todos que estiveram presente e que colaboraram para a realização desse evento. Foi o primeiro de muitos.

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23   26  27  28  29  30  24

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.