51431096_377507449746018_1341795895494049792_n-1280x600

RS: Campanha da ONU #ElesPorElas alerta veranistas gaúchos sobre violência contra mulher

Saiu no site FELIPE VIEIRA

 

Veja publicação original: RS: Campanha da ONU #ElesPorElas alerta veranistas gaúchos sobre violência contra mulher

.

Verão, praia, mar, sol e nada de machismo. Essa é a proposta da segunda edição do projeto Verão Sem Machismo, que chega ao litoral gaúcho neste final semana com ações na sexta, sábado e domingo nas praias de Torres, Capão da Canoa, Imbé, Tramandaí e Itapuã, em Viamão. O Movimento mundial da ONU Mulheres, Eles por Elas (HeForShe) é um esforço global criado em 2014 para difundir a conscientização e promover a responsabilidade de homens e meninos para a eliminação de todas as formas de discriminação e da violência contra as mulheres e meninas. O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado do país a aderir ao ElesPorElas, em 2015. O Comitê Gaúcho é composto por empresas, universidades, instituições públicas, artistas, veículos e comunicação e clubes da dupla Grenal.

.

Nas atividades, equipes do Comitê Gaúcho Impulsor ElesPorElas, integrante do movimento mundial ElesPorElas, da ONU Mulheres Brasil, vão alertar aos veranistas sobre os diferentes tipos de agressões contra meninas e mulheres, e orientar como procurar ajuda e denunciar a violência. Serão realizadas caminhadas na orla, conversas com veranistas e distribuição de material informativo com os números da violência contra as mulheres no Rio Grande do Sul.

.

Nos últimos quatro anos, foram registrados no estado o assassinato de 356 mulheres, vítimas de feminicídio. A média é uma mulher morta a cada quatro dias em crimes cometidos por parceiro ou ex-parceiro. No mesmo período foram registrados 6.149 estupros, média de quatro por dia. Já o número de agressões com lesão no período foi de 87.480, média de 59 mulheres por dia. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do RS, em balanço feito pelo Comitê ElesPorElas para divulgar campanha contra o machismo e alertar a população a respeito dos índices alarmantes de violência e preconceito contra as mulheres.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.