IMG_8288

Prefeitura de São Paulo abre 100 vagas em Frentes de Trabalho para mulheres em situação de violência doméstica

Saiu no site PREFEITURA DE SÃO PAULO

 

Veja publicação original:  Prefeitura de São Paulo abre 100 vagas em Frentes de Trabalho para mulheres em situação de violência doméstica

.

Selecionadas irão atuar em 100 feiras livres da capital pelo Programa de Combate ao Desperdício de Alimentos

.

Por Solange Borges

.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da Prefeitura de São Paulo abriu nesta sexta-feira, 9 de agosto, 100 vagas para agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos, que serão preenchidas este ano com mulheres que estão dentro dos critérios dos programas Tem Saída e POT – Programa Operação Trabalho. As atividades serão desenvolvidas em feiras livres e entidades assistenciais durante seis meses, com possibilidade de renovação pelo mesmo período. As mulheres contarão com uma bolsa de R$ 1.047,90 por mês, para seis horas de atividades de segunda a sexta-feira.

.

“Com essa ação, unimos várias iniciativas da secretaria com a finalidade de auxiliar essas mulheres. Estamos colocando esse grupo em um programa voltado a pessoas em vulnerabilidade social, que vai desempenhar um importante papel em nossa cidade, que é evitar que alimentos em condições de consumo, sejam jogados no lixo. O destino são entidades assistenciais que atuam em diversas frentes e ajudam na redução da insegurança alimentar e nutricional na cidade”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

.

A primeira etapa de integração foi realizada nesta sexta na sede da pasta com 40 mulheres. A partir de segunda-feira, 16 mulheres iniciam o treinamento no Banco de Alimentos Municipal onde receberão capacitação em manipulação e uso integral de alimentos, e também abordagens com as entidades cadastradas no banco e feirantes.

.

.

De acordo com a promotora de justiça do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica, Maria Gabriela Prado Manssur, cerca de 30% das mulheres que estão em situação de violência doméstica e familiar não denunciam o agressor ou desistem dos processos judiciais. “Isso ocorre em decorrência da dependência financeira dos companheiros. O Programa Tem Saída foi pensado para auxiliar a mulher a romper com o ciclo da violência, conquistando um trabalho e gerando renda. Essa iniciativa da Prefeitura de São Paulo agrega novas oportunidades às mulheres que estão inseridas no Tem Saída”, salienta.

.

O juiz de Direito da Vara da Região Leste 3 de Violência Familiar Contra a Mulher, Mário Rubens Assumpção Filho, que também participou do evento com as primeiras selecionadas, comparou a jornada das mulheres que passam pela violência doméstica como uma maratona. “Fazer todas as etapas do processo contra um agressor é um caminho longo e árduo. É como superar cada obstáculo que envolve determinação e coragem de um atleta para atingir o objetivo. Esse grupo que logo mais será formado por agentes de Combate ao Desperdício persistiu e já pode comemorar essa conquista”.

.

.

As agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos atuarão em 100 feiras da cidade até o final deste ano. Inicialmente, 16 feiras serão atendidas nas regiões central, oeste, leste e norte. Nestes equipamentos públicos serão coletados e triados os alimentos que estejam em condições de consumo e destinados para 200 das 310 entidades cadastradas no Banco de Alimentos.

.

A escolha das entidades e das feiras livres da cidade foi de acordo com a região de moradia das mulheres, facilitando desta forma a mobilidade do grupo e maior interação entre as agentes e o público atendido. Também foram priorizadas organizações que atendem crianças e idosos que oferecem refeições na própria entidade.

.

O trabalho será realizado em duplas para maior abrangência das coletas e a estimativa inicial é que cada equipe destine, em média, 2,4 toneladas de alimentos por mês às organizações participantes. O montante coletado será enviado às entidades, que devem possuir equipamentos adequados para preservação e transporte dos alimentos.

.

As Agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos também visitarão semanalmente as organizações sociais para passar orientações sobre o uso adequado dos alimentos, ensinar receitas nutritivas e ampliar as ações para redução do descarte dos itens recebidos.

.

.

Programa Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos

.

Iniciado em outubro de 2017, o Programa idealizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho recolhe alimentos em boas condições de consumo, mas que seriam descartados por não possuir valor comercial. Atualmente 12 feiras livres e dois mercados municipais participam da ação, que já doou mais de 112 toneladas de frutas, legumes e verduras.

.

Por meio de agentes operacionais vinculados ao POT – Programa Operação Trabalho, a coleta é direcionada para o Banco de Alimentos, local em que as frutas, verduras e legumes são submetidos a um processo de triagem. Por fim, a arrecadação é distribuída para as mais de 310 entidades assistenciais cadastradas pelo banco, responsáveis por oferecer refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade.

.

.

Programa Tem Saída

.

Lançado em 6 de agosto de 2018, o Programa Tem Saída é uma política pública voltada à autonomia financeira e empregabilidade da mulher em situação de violência doméstica e familiar. A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, OAB-SP e ONU Mulheres.

.

A mulher atendida pelo sistema judiciário será encaminhada aos equipamentos de seleção de emprego da Prefeitura de São Paulo. No local, ela terá atendimento especial e entrevista prioritária às vagas disponibilizadas pelas empresas parceiras do Programa.

.

.

Programa Operação Trabalho

.

O Programa Operação Trabalho (POT), administrado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, possui atualmente 11 projetos e 1.420 pessoas atendidas. Tem como objetivo de qualificar o trabalhador desempregado, residente na capital e que pertença a família de baixa renda, visando estimulá-lo à busca de ocupação, bem como à sua reinserção no mercado de trabalho.

 

Compartilhe nas suas redes sociais!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será divulgado.